SARTO ASSINA ACORDO COM UNICEF PARA CRIAÇÃO DE OPORTUNIDADES PARA JUVENTUDE MAIS VULNERÁVEL EM FORTALEZA.

O prefeito de Fortaleza, José Sarto, assinou acordo de adesão da cidade à plataforma Um Milhão de Oportunidades (1MiO), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), na manhã desta terça-feira (09/11), em visita ao Cuca Jangurussu. A parceria terá foco no desenvolvimento de estratégias para gerar oportunidades à juventude impactada direta ou indiretamente pelos efeitos da pandemia. A plataforma digital também funciona como um aplicativo adaptado para dispositivos móveis, incluindo informações desagregadas por regiões.

“Paralelo a políticas para juventude que já estamos desenvolvendo, agora aceitamos esse convite do Unicef para gerar mais oportunidades para o jovem, especialmente aqueles em situação de maior vulnerabilidade, como negros e pardos, indígenas, moradores de periferias e com deficiência. Com muita alegria, vamos integrar esse time para ajudar Fortaleza a minimizar as desigualdades”, declarou o prefeito.

O 1MiO reúne Nações Unidas, governos, setor privado e sociedade civil para criar oportunidades de educação de qualidade, conectividade, formação de competências digitais e participação cidadã, capacitação profissional, aprendiz, estágio e emprego para adolescentes e jovens de 14 a 24 anos em situação de vulnerabilidade. A iniciativa é parte do programa global Generation Unlimited (Geração Que Move, no Brasil), aprovado pela Assembleia Geral da ONU, em setembro de 2018.

Representante da Unicef no Brasil, Florence Bauer enfatizou que, embora a pandemia não tenha afetado a saúde do público adolescente e jovem com a mesma força com que afetou os demais, ele foi o mais impactado pelos efeitos secundários da crise.

“Estudos mostram que milhões de crianças e adolescentes se desvincularam das escolas. hH também o impacto na saúde mental, é uma população que já era vulnerável antes e agora está ainda mais afetada. No Brasil, são quase sete milhões de jovens sem oportunidade de estudar e trabalhar, é um país com taxas muito altas de homicídios de adolescentes, uma média de sete mil por ano, a maioria meninos negras de periferias”, apontou.

Bauer acredita que, com a diminuição dos casos da Covid-19, o momento é propício para firmar o compromisso e fortalecer estratégias para uma reconstrução dos caminhos dessa juventude.

“Nosso convite é para reconstruir melhor, colocar crianças, adolescentes e jovens no centro das políticas públicas. Através do Um Milhão de Oportunidades, a gente quer primeiro ir em busca do jovem que deixou a escola e oferecer acolhimento, oportunidade de aprendizagem e de trabalho, com vagas de aprendiz, estágios ou trabalho efetivo. Sempre buscando os mais vulneráveis, porque é a maneira da gente romper o ciclo da pobreza e evitar que essa geração possa ter um impacto tão profundo que vai afetar não só a geração em si, mas a sociedade e todo o Brasil ”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *