SAÚDE

Audiência pública debate reajuste recorde dos planos de saúde; idosos serão os mais afetados.

Marcada para esta quarta-feira, dia 18, às 15 horas, no âmbito da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados, uma audiência pública para debater o “reajuste previsto para os planos de saúde em 2022,” noticiado pela imprensa. O evento contará com transmissão ao vivo pelo E-Democracia.Os planos de saúde individuais devem subir 16,3% em 2022, segundo projeção da FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar). Caso a projeção se confirme, este será o maior reajuste já feito pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), de acordo com a série histórica, iniciada em 2000.Entre os fatores considerados para a estimativa, a federação destaca, principalmente, a variação das despesas assistenciais com atendimento aos beneficiários dos planos, variação por faixa etária e a eficiência da operadora.Autor da audiência na Câmara, o presidente da Comissão do Idoso deputado federal Denis Bezerra (PSB-CE) busca vedar o reajuste dos preços dos planos individuais de saúde em 2022, levando em consideração o momento de recuperação econômica pelo qual o Brasil passa após o período mais agudo da pandemia de Covid-19. “Vejo com preocupação o anúncio das empresas que oferecem o serviços suplementar de saúde diante de reajustes que superam o recorde de 2016, na época com incremento de 13,57%. As pessoas idosas serão as mais afetadas, pois já pagam valores caríssimos” afirma o deputado Denis Bezerra.Além disso, caso o reajuste for concretizado, vai afetar todos os usuários do sistema, mas especialmente as pessoas idosas, que já têm altos custos com a compra de medicamentos. Ele alerta que muitas pessoas não terão como arcar com os valores dos planos privados e deverão migrar para o Sistema Único de Saúde, aumentando a demanda no serviço público. Participarão da audiência pública a gerente da ANS, Daniele Rodrigues Campos, superintendente da ABRAMGE, Marcos Novais, superintendente da FenaSaúde, Sandro Leal Alves, coordenador-geral do Senacom/MJ, Frederico Moesch, presidente da Unimed Brasil, Omar Abumjara Júnior, e o advogado e representante dos usuários da saúde suplementar no Ceará, Gerson Sanford Vieira Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *